segunda-feira, agosto 17, 2009

PORTA ABERTA

“It is time to break the chains of life. If you follow you will see what’s beyond reality”.
Behind the invisible, Enigma

À metade de mim.

A batalha nas batalhas. A Guerra nas guerras ou a ausência de batalhas e de Guerra. Há os que vencem batalhas, há os que ganham a guerra e há os que não se importam de a perder: não por cobardia mas porque não se identificam com ela.
Há os que gritam na multidão: alegres ou tristes, soltam ecos bélicos de ódio ou prazer, pela luta e na luta. E há os que na Solidão, nos becos sem saída, seguem vidas impossíveis, onde pormenores e instantes são a pintura da Alma, odes do Ser ou hinos do Sentir… Ou tão-somente prantos de dor.
Às vezes, na solidão, utiliza-se o pincel do sorriso, outras o da lágrima mas nunca quando se ama é em vão.
Tudo são enigmas. Frustrações da liberdade: mistérios. E nas sendas da miopia invisível, enigmas, está Mona, a mulher responsável pela criação do Céu e da Terra: única entre desiguais. Mistério. Doce e intenso mistério: sedução. Tudo são enigmas que podem abrir, fechar ou estar entre portas invisíveis: as portas da meta-vida, Amor.

1 Comments:

Blogger Felipe Fanuel said...

Que saudade daqui! Que bom que estás de volta! Que essa Porta se mantenha sempre aberta!

Esse aqui é um lugar sagrado, menina!

Bjs.

12:43 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home