segunda-feira, novembro 16, 2009

Abandonou-te a dor

"Romeu, após um abraço beijado: Oh! Os teus lábios apagaram os pecados dos meus!
Julieta: E os meus lábios guardaram para eles o pecado que encontraram nos teus..."
Shakespeare, Romeu e Julieta

Choveu. Choveu na casa abandonada. A chuva ainda cai no piano em ruínas. A casa abandonada por todos, menos pela chuva – melodia.
As velas acesas no altar. Uma procissão de sentidos no coração. Os bancos do templo que és: vazios. O chão frio e escuro. Muito frio. Imenso escuro. As paredes altas e inertes.
Em toda a casa a sombra das sombras que estão em ti, que te habitam e assombram.
Um barulho. Estridente. O que foi? Um tufão? Bateu uma porta?
Bateu a porta. Foi o poeta. O poeta zangou-se com a vida, arrumou as palavras nas gavetas. Fechou as gavetas com a chave, Ilusão, deitou a mesma chave de todas as gavetas no mar. Afundou a tentação e a indigência dos sentidos.
Morreu? Morreu o poeta?
Dizem que quando as palavras fogem, o poeta morre. Morreu?
O poeta partiu. Partiu com as ondas dos mares do Sul. Partiu e nunca mais ninguém o viu. Nas fímbrias equóreas esmoreceu sentidos de dor.
Punição das Erínias? O novelo do destino que se desfiou?
Ninguém sabe. Só o poeta sabe. Mas ninguém sabe o que o poeta sabe. Ninguém sabe que ele sabe.
Apenas a chuva que hoje o visitou e o piano que ao recebê-la chorou sabem o que a alma do poeta para sempre guarda neste templo vazio.

5 Comments:

Blogger Wanderley Elian Lima said...

Olá Sandra, obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário.
Gostei muito de seus texto muito bem escolhidos . Vou voltar.
Beijos

5:57 da tarde  
Blogger Lilá(s) said...

Os teus textos são fabulosos, lindos!
Bjs

10:28 da tarde  
Blogger Walter said...

O teu texto é uma coisa...fantástico.bj
PS: passa lá no tons agora

9:45 da tarde  
Blogger Walter said...

Fui buscar um dos meus textos preferidos do cinza e optei por publicá-lo...na falta de um original, vai um dos meus preferidos :)
E corresponde a uma fase não mt feliz, mas uma escrita diferente...nem melhor nem pior, na minha opinião, diferente. Marca uma altura incontornável...e é de facto mt especial para mim

11:07 da tarde  
Blogger Anita said...

O sol nasce; o sol se põe, mostrando-nos que o tempo é apenas a mudança de nós mesmos...
Da mesma forma os momentos felizes e infelizes sucedem-se na nossa vida... lembrando-nos que tudo passa e tudo recomeça a cada dia!

Beijinhos cheios de carinho.
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)

8:59 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home