terça-feira, outubro 21, 2008

OS SAPATOS

À humildade de quem caminha sem medo e
degusta a dor, acrescentando-lhe sabor,
Diz o Coração da bailarina que já precisou de sapatos para caminhar pelas veredas inóspitas do Sentir… Já foi há muito tempo atrás, numa época em que as pedras da calçada magoavam e os delicados e frágeis pés pediam conforto para suportar a dor. Hoje, mesmo nas subidas mais íngremes, mesmo nos dias de chuva forte ou quando o dono dos trovões se enche de fúria a bailarina da Vida prefere continuar descalça. Ensinou-lhe a sucessão dos dias e das noites a suportar as dores da caminhada. Já não teme feridas nos pés porque o corpo cicatriza depressa… Só a Alma não encontra os sapatos adequados para a dor e por isso ela dança, dança e rodopia, sem parar. Ritual que oferece aos deuses como prece que se ergue aos céus para de si a dor afastar. Sobem as preces, descem as lágrimas!
As margens da Vida são leito de fino Sentir que moldam o nosso Ser de acordo com o caminhar. Saiba sempre a Mulher que a dança mais bela é quando dá Vida ao Ser, saiba que os pés descalços ligam mundos, mostram sabores, unem a Terra ao Céu... E que cada filho é dança... Por isso quando nasce uma Criança, ela vem sempre ao mundo, descalça.

6 Comments:

Blogger Véu de Maya said...

Olá, papoila sonhadora!

Inteira no que escreves, e mesmo nas máscaras, não escondes o rosto... bela escrita...tão profunda e intensa que me comoves..
tudo em que tocas melhoras...a tua prosa cruza bem se me permites com a minha poesia....

ternura especial.

10:15 da tarde  
Blogger Véu de Maya said...

voltei para te cumprimentar...na expectativa de um novo texto teu...que me encha de oxigénio...

ternura especial

2:33 da tarde  
Blogger Walter said...

Escrita profunda, reflexiva e intensa!
Gostei imenso do texto

8:25 da tarde  
Blogger vida de vidro said...

"Só a Alma não encontra os sapatos adequados para a dor"

Pois é , amiga. Seria mais fácil se fosse doutra forma. Gosto sempre de sentir e reflectir contigo. **

10:49 da tarde  
Anonymous collybry said...

Olá que é feito de Ti?...Tudo bem...

E como sabe...Caminhar sem dor

Beijitos ternos


olharIndiscreto

8:20 da tarde  
Blogger Felipe Fanuel said...

Sandra,

Passei aqui para ficar descalço, como uma criança.

Obrigado por nos mostrar a necessidade de tirar os sapatos. Já estava me acostumando com aquela sensação quentinha nos pés.

Beijos.

3:02 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home