domingo, setembro 16, 2007

Mascaras do Ser.

Imagens, meras representaçoes,
Ocultaçao do Ser.
Vesti o meu vestido preto
modelei as formas do meu Ser,
a sensualidade mascarada de ilusoes.
Sonhos? Tantos!
Deitei-me na fria pedra
esperei por Ti...
Ainda hoje te espero.
Ainda hoje te quero.
Ainda hoje te sinto.
Arcadas de um mar de Amor
tantas sao as lagrimas
do meu querer.
Passaro preto,
Atropos nocturno,
ingremes sentidos levas nas tuas meigas asas
envolventes melodias soltam as cordas
do violino
nas sendas do Vento.
Es estatua fria de sentidos,
a margem da Vida
deixas pensamentos esquecidos...
Quanta e a Agua
que cobre a tua dor...
A Noite, das narinas dos melros pretos
vem o po,
sopro da Vida.
Quanta polissemia,
quantos gestos
sacode o apaixonado
quando o melro
um beijo meu
poisa ao lado do teu...
Adormeces no meu querer, avistas a doce Aurora na tela do meu Sentir, amanhece o dia e tu na alvorada do meu Amor, acordas deste Sonho que te faz Ser...

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home