quarta-feira, setembro 12, 2007

Nada e Eterno...

Neste meu vazio, lembrei-me do teu abraço e apeteceu-me enviar-te um beijo.
- "Beijo recebido e enviado da mesma forma, com muito carinho... O vazio tens de o preencher pois caso contrario o teu vazio apodera-se do resto de ti." - Senti a tua voz em cada palavra escrita e erguendo as maos ao ceu, agradeci gostar tanto de ti...
Infinitas ondas de um mar
Vagos Ecos da profundidade
Agitam-se feridas Almas
que navegam ao desalento...
Neste tormento
Solto Gritos de ansiedade
Procuro nas ondas agitadas da Vida
atenuar as enormes magoas
desta ferida...
Longas, infinitas estradas do mar
que os meus pes nao sustentam...
Lagrimas avulsas de um poço sem espaço...
Ensurdecedores gritos, Ecos de dor...
Vazio imenso, eterna procura...
Fico deitada neste mar imenso
que nao encontra foz.
Onde estas que nao te sinto?
Que Sentimentos encomendaste ao Vento para me proteger?
Nada e eterno,
Nem a agua deste mar, nem o azul do Ceu,
nem as ondas
que se agitam
no meu pensar...
Nada e eterno
neste vazio onde so ha po.
Nada e eterno a nao ser o Amor...
Amor que pede abraços,
Amor carente,
Amor es atropos,
usucapiao de uma Vida,
Terreno que nao te pertence...
E ha neste querer mais do que querer toda a força do Eterno Amor...

5 Comments:

Blogger Felipe Fanuel said...

Minha Amiga,

Estava com tanta saudade daqui! Ainda bem que nossa língua tem essa palavra, senão eu não saberia como me expressar neste momento.

É bom ler-te novamente! Não há nada que me faça deixar de ser o interlocutor deste teu lindo poema.

Somente a ausência do nada para nos fazer sentir o gosto da eternidade, que, a rigor, é o "ausente sempre presente".

Beijos

4:24 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

Em boa hora viesse ao teu espaço, porque fiquei maravilhado com a tua poesia.

9:27 da tarde  
Blogger Ana Caridade said...

Olá, querida!!!
É bom ver que já estás cá. Que já te consigo ler.
"É sempre mais feliz quem mais amou".
És linda!!! Estava cheia de saudades!
Beijoca grande

9:02 da manhã  
Blogger Miosotis said...

Lentamente regresso.
Confesso quem senti saudades deste grande universo de amizade virtual .
E da escrita que se impunha cada vez mais.
Após uma breve leitura, porque o tempo é escasso para tantas visitas e tanto em que me actualizar, parto, não sem antes deixar votos de um feliz fim de semana .
Beijos espalhados pelo campo de miosótis.
Até breve...

6:22 da tarde  
Blogger Fernanda e Poemas said...

Sandra, amiga que bom voltar a ter o previlégio de ler os teus poemas.
São um bálsamo para uma alma sensilvél.
Foi direitinho ao meu coração.

Abraços,com muito carinho.

Fernandinha

4:47 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home