sábado, novembro 10, 2007

Lagrimas de dor

E gelo o que sinto na Alma. Frio de emoçoes. Vazio que pede autor. Edifiquei sob a forma de estatua as lagrimas que me roubam o verdadeiro sentir... Sou um deserto sem luz, ferida que nao cicatriza, Alma perdida, incompreendida, que vagueia perdida entre o ceu e a terra, a espera de ti Anjo de Luz. Dificil tarefa a tua, teras de me devolver o sorriso, entregar-me todos os meus sentidos e fazer de mim estatua de luz! Como pode um Anjo congelar? Talvez feitiço, designio, por tanto Amar e em tudo Amor colocar... Toca-me, mesmo com o teu olhar, o gelo poderas quebrar... Toca-me com as tuas maos, acaricia cada picaro das minhas lagrimas, chora comigo, ama-me na dor... Ergue o meu rosto como uma arvore de magia cujos ramos parecem tocar o ceu, ama-me, de forma anonima e simples, mas ama-me porque sem ti sou gelo... Quantas sao as feridas que acumulou o meu humilde coraçao que nem o vento do norte, nem um vulcao em extinçao sao capazes de me devolver a magia da Vida, a mais pequena alegria, mesmo sendo ilusao.
A Vida e uma escada com muitos degraus, ora se sobe ora se desce, ora se aquece ou se arrefece... So tu, meu Anjo faras com que eu regresse.
Tera sido Medusa que me transformou? Por que motivo o meu Ser congelou? Abraça-me, que o frio e tanto e a solidao nao aquece, nao fujas para longe esta Noite que o meu Ser enfraquece...
Ama-me, so o Amor enaltece...

2 Comments:

Blogger ContorNUS said...

Entre o sonho e as lágrimas de dor...

Obrigada pelas tuas partilhas sentidas

;) voltarei

3:15 da tarde  
Blogger Teresa Calcao said...

Minha querida papoilinha sonhadora,
Senti o desejo de te ler.....e as saudades ja apertavam.....
Deixo-te um beijinho muito doce.

8:44 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home