segunda-feira, janeiro 14, 2008

BAILARINA DO TEMPO.

Ha uma sombra. Alva linha do infinito que traça o caminho nas veredas da escuridao, num percurso tao intimo e tao so. Sete passos de bailarina que o tempo aprisionou, multiplos desejos de menina que outrora o mesmo tempo, vil figura, castigou... E rodopia, rodopia sem parar nesta dança do tempo que desde o tempo de menina a faz sonhar. De que sao feitos os sonhos? Pobre mulher, ja tao feita, caminhas perdida na linha alva do tempo envolta nas brumas de Avalon, tao escura e a noite, tao distante o teu pensar... Tao negro o ceu e o mar... Humus, frio e escuro, adubos mal doseados, quanto mal te tem feito a vida? Lembra-te dos designios que acompanham a tua Alma: uma Alma que caminha descalça nunca esta so, tem a experiencia amarga do sofrimento... Sofre quem precisa de crescer... Solidao ate quando daras a mao a bailarina do tempo que caminha aprisionada nos sete passos de dança? Liberta-a dos calos da Vida sofrida e devolve a sua Alma, candida doçura, ao sonho que a faz caminhar...
Todos sem excepçao, nos nossos relatos de sofrimento, somos irmaos de Sisifo, o mesmo rochedo temos de carregar, ROCHEDO DO AMOR, na evoluçao do Ser... Bailarinas? Poucas sao as que ainda caminham com desejos de meninas aprisionados no coraçao... Ate quando Alma diferente, que tolhas o pensamento e invades a mente? Ensina a Bailarina a bailar... Enfrenta os rodopios da Vida que te prendem nessa espiral, ilusao magica, Tempo...

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home