terça-feira, setembro 21, 2010

Adormecer passados


“A vida é uma comédia para aqueles que pensam e uma tragédia para aqueles que sentem.” Horace Walpole

Para a Camila que trago em mim, sem baptismo.

Gostavas que tudo fosse diferente, que houvesse um sentido. Um caminhante perde tantas vezes o sentido quantas vezes vê nascer e morrer o mesmo Amor.
Senta-te na areia, sem o sentido de pertença, nada nos é. Deita todos os sentidos já percorridos nas fímbrias do alto mar, não importa que os avistes, importa-te ser e sentir. Não temas chorar, as lágrimas são a mais perfeita manifestação das emoções que tens.
As imensas batalhas que travas, assim devem ser para que possas encontrar a diferença no caminho.
Procurar um nome às coisas é meio caminho e às vezes vale mais adormecer passados do que amadurecer presentes.
Deixa-o dormir. Deixa dormir esse sonho que te ocupa o peito e o avesso do mesmo. Andou tão cansado, o sonho: o teu sonho. Os olhos nunca cerraram e viveu as noites como os dias.
É um erro viver como iguais, duas partes tão distintas.
Vale mais deixar adormecer os nomes que procuras e não insistir no amadurecimento: amadurecer magoa muito. Adormecer custa menos.
Amadurecer: pode ser procurar o nome das coisas mas é muito mais. Amadurecer: é deixar que as coisas mostrem os nomes.
Procurar, ainda que na intensidade – a única medida que une dois seres humanos, atrapalha.

Depois de ouvir a mensagem, Camila deixou de procurar os nomes das coisas, os sentidos do sentido. Aprendeu a adormecer e a amadurecer. Separou os noites dos dias e numa dessas noites que o Tempo tem, morreu.

2 Comments:

Blogger Wanderley Elian Lima said...

"Amadurecer magoa muito", tudo se tão tão mais difícil e meio que sem sentido.
Bjux

7:00 da tarde  
Anonymous idalina dionisio said...

Só consegue escrever quem sabe sentir.
Consegues emocionar-me.
É grandioso o que escreves.

11:35 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home