segunda-feira, agosto 30, 2010

Silêncio: nome do Destino

(Fateline by Mike Worrall)

"Somente o silêncio é grande, o resto é fraqueza." Alfred de Vigny
“ - Fecha-os. Fecha os olhos. Estarei numa ponte. Serei escuridão. Iluminar-me-á a Lua – metade da Lua que te abriga os sonhos. A outra metade estará contigo, lado a lado, ou em ti, talvez.
Terei atravessado um corredor de árvores cujos ramos tocam o negro dos céus. E todos os troncos das árvores alinhados, como um pelotão do exército, farão de ti soldado na frente da batalha.
Todos os troncos das árvores alinhados serão o umbigo do sonho.
E quando já as nuvens brancas avistares no chão perto de mim, terás conhecido o sabor da escuridão, o paladar do negro dos dias sempre iguais à noite, como passos de valsa sem dono. Como passos que buscam a dança interior que te tatuaram, quando nasceste, e que deixaste morrer em ti, sem dono, sem senhor.
Terás conhecido o sabor da escuridão, o paladar do negro dos dias sempre iguais à noite, mas nem mesmo assim poderás ver a azagaia que trago dentro do peito.
Fecha-os. Fecha os olhos. Conhecer-me-ás ainda que no meio de muitos: serei a linha que te guia, todos os dias e todas as noites que o Tempo tatuou em ti – Destino. Serei silêncio.
Fechei os meus. Dois silêncios poderão mais, muito mais do que um.”
Assim falou a noite: só ela conhece os destinos de cada um. Ouviste-a? Encantou-te a voz?
Agora veste-a com o melhor que trazes em ti, ela espera-te como sempre te esperou: do outro lado do campo de batalha.

1 Comments:

Blogger Nildes Sobral said...

"ela espera-te como sempre te esperou: do outro lado do campo de batalha."

Bonito!
Beijos.

1:30 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home