quarta-feira, julho 11, 2007

A Noite,

A Noite, quando me tocas nao sinto o teu rosto, nao vejo os teus olhos porque eles nao podem sonhar... Pobre Alma que te escondes no escuro com medo de me enfeitiçar... Sete raspas de laranja, um pauzinho de canela, duas rosas vermelhas aveludadas, folhas de almiscar embrulhadas num lacinho fino de cetim, solto as amarras ao sonho e vejo os aromas que outros nem sentem, chegam ate mim num frenesim... O aconchego das tuas maos faz das ondas o meu leito, suave lençol que, delicadamente, poes sobre mim... Como consegues sentir para alem do tocar, ver para alem do olhar? Tens a magia no Sentir, o Vento que circula a tua volta dança contigo ao luar, enche-te de cores cintilantes e as vezes pingos de mel puro faz do ceu brotar... As nuvens que sobrevoam o teu Ser, adoçam as tuas maos, tocam os teus dedos de mansinho e convidam-nos a bailar e desta musica saem as letras do teu Ser, que ao ler-te me poem nas asas de uma gaivota e me levam para longe de mim... Consta-se que existe uma Rosa que poucos podem Sentir no meio do Oceano, dentro dela ha espaço para uma dança a dois, so ve quem olha com Amor, dois eternos apaixonados que a Valsa lenta da Vida, leva a Ser, Saborear e viver
"Everything that we see can be seen in another way..."

Sandro Del Prete

2 Comments:

Blogger Visão Caleidoscópica said...

Passei por aqui e deliciei-me com o que vi...
Parabéns!

9:27 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

Papoila Sonhadora,
Gostei imenso de ler este teu texto!

Um beijinho
do Pepe.

10:27 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home