segunda-feira, agosto 06, 2007

EU

Cresci com quatro tias-avos paternas, Rosa, Dolores, Joaquina e Julia. Solteiras com idades entre 70-87. Ensinaram-me a andar, falar, todas noites rezava o terço, pela manha fazia as oraçoes do dia. Na casa delas, a minha casa aprendi a lidar com a cegueira, sendo a mais idosa, invisual desde tenra idade. Com ela aprendi o que nenhuma universidade pode alguma vez dar... Protegeram-me muito, valeram-me nos anos mais dificeis da minha vida, a minha infancia, anos marcados pela dor de nunca ter vivido com os meus pais e de ao mesmo tempo ter de enfrentar duras situaçoes familiares que me levaram a depender de medicamentos para o sistema nervoso, dos quais ainda hoje dependo... Sobrevivi, com magoas e muita fragilidade. So o sofrimento, a dor permite modelar a personalidade... Assim me fui formando. Sempre perdida no meu mundo, incompreendida, cedo despertei para a escrita. Recordo uma gaveta cheia de papeis que eu escrevia, desabafos com o papel, a minha primeira forma de escrita... Uma escrita nao de inspiraçoes, mas de Sentimentos. Desde sempre os abalos do meu Ser me fizeram uma inadaptada, indecisa... Porem,muito comunicativa, sempre me interessaram os outros, sempre os coloquei no primeiro lugar... Meu Deus, quantas vezes me esqueci de mim? Quantas sao as vezes que ainda me esqueço? Hoje, tenho a mesma dependencia dos outros, nao por mim, mas pelo que eu sou para eles. Dois tios-avos, juntando-se um tio-avo viuvo e sem filhos, as irmas, dependem diariamente de mim para os alimentar, tratar, trocar as fraldas,verificar se sao bem alimentados, fazer compras, ir as farmacias, visitar os medicos, orientar funcionarias, cicatrizar as feridas externas e as internas que os tios vao ganhando... Com eles continuo a aprender, a sofrer, a crescer... Nao precisava de crescer tanto! Tao dificil esta aprendizagem, cujo diploma e o Amor. Nele assento tudo o que faço. Esqueço-me de mim, deito-me a pensar se aconcheguei bem a roupa dos tios-avos antes de os deitar, a noite cai e todas as noites a mesma pergunta me assola: "quando os verei pela ultima vez?" Nao estou preparada, detesto despedidas. Mas algo eu acredito que um dia o Sonho me compensara, as cicatrizes interiores que tenho serao menores e quem sabe eu nao me torne a criança que nunca fui, viva o que nunca vivi, tenha quem tome conta de mim... Talvez ja tenha aprendido a tomar conta de mim, a pensar em mim e deixe que o outro se encarregue de me fazer feliz, quem sabe?
Hoje foi um dia, particularmente, dificil para mim...

3 Comments:

Blogger Arcanjo said...

Minha linda,

Cada um de nós, á sua maneira "aprendeu" o significado da palavra "vida" (tenho a perfeita consciencia que alguns aprenderam mais e melhor que outros).
A vida, em alguns aspectos com algumas parecenças á tua e noutros de forma diferente, também me tem ensinado muito duramente o verdadeiro significado de algumas palavras que muitos desperdiçam e enxovalham aos quatro ventos. Palavras essas que deveriam ser interditas nas bocas de mentes incapazes de os compreender.
Tenho dias assim também, como este que te assolou... mas a força que temos dentro de nós e a força que quem como nós compreende verdadeiramente o valor da vida e da amizade nos estende a mão faz com que o amanhã seja um novo dia.
Acredito piamente que só suporta tão grande fardo quem tem a força suficiente para o fazer, e olha que são poucos os seres capazes de tal façanha.
Apesar de te levar só mais uns anitos de avanço te digo que não te arrependas nunca de fazer o bem... continuo a acreditar na justiça suprema e que devemos semear para colher.

Nunca se escolhe qualquer um para atribuir tamanha responsabilidade como a que tens.

Sempre que precisares estarei lá para te dar a mão, um sorriso e a minha total compreensão.

É bom e compesador saber que ainda há pessoas como tu, que sabem o significado e o valor do amor, da amizade, da gratidão e da vida.

Deixo-te uma pena das minhas asas para que te lembres sempre que a força está dentro de ti.

Beijinhos doces e bons sonhos :-)***

P.S. Olha que o amor vem a a caminho... passinho a passinho chegará alguém que saberá o verdadeiro valor do teu coração.

Palavra de Arcanjo***

(depois mo dirás)

10:55 da tarde  
Blogger PaulaNog said...

Verdadeiramente a escrita feita de sentimentos é melhor que qualquer inspiração. E porquê? Porque é a unica verdadeira... vem do coração o lugar mais puro... aquele que está sempre em contacto com o divino, com o nosso verdadeiro SER!
A vida trás-nos as coisas certas para crescer-mos e ser-mos quem verdadeiramente Somos!
Sê apenas!!! Aquele anjo lindo que ÉS!
Bjs alquimicos***

9:11 da manhã  
Blogger Fernanda e Poemas said...

Papoila Sonhadora,
fiquei sem palavras ao ler o teu artigo. A descrição da tua vida e a daqueles entes queridos.
Um dia a reconpensa virá podes crer.
Até lá Deus te ajude,
Recebe muitos beijinhos,

Fernanda

11:03 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home