domingo, julho 29, 2007

A Beleza dual.

A tarde cai, os passaros voam ate ao lugar do Sonho, com eles voa o meu Ser... Quantos olhos admiram uma paisagem sem vontade de a querer... Quantos os que vagueiam sem rumo, nesta dualidade do Ser ou nao Ser... Tudo o que existe, tem outra forma de ser. Quantos observam uma metade e esquecem que ha no todo um sopro que pede para se erguer... Sopro de luz, sobes ao ceu ao anoitecer, contigo nas margens de uma arvore, reflexo de viver, eu vou sonhar os sonhos que os passaros da Noite, so aos olhos do sonhador podem aparecer, leva-me contigo... Um Milhafre voa no alto da Solidao, no Silencio que nao existe, esta so a minha Alma no meio da multidao, requiem das trevas, luz do coraçao, soltam-se as amarras do Dia, verdes ramos abrigam a janela do meu Ser, escurecem tambem eles num manto terno, veu da Noite, ternura do entardecer e com a escuridao vem o desejo de te ter... Abracem-me, braços da verde arvore, deixem-me no leito dos Sonhos, adormecer... Prazer e ter quem nos faça ver para alem do proprio ver, mergulhando nas veredas do nosso proprio viver, encantos que so o olhar profundo permite Sentir e Ser... Uniao do dia com a noite, num leito de folhas verdes, gestos de encanto, entrega do Amor, num entardecer... Amo-te doce Noite porque te misturas com a solidao do meu Ser, nao fujas, adormece ao sabor do Vento, fica ate amanhecer,

2 Comments:

Anonymous Silencio said...

Gostei muito da tua escrita, tem muita beleza

Estou a ficar com mto pouco tempo para os blogs :(( mas voltarei.
Deixo-te um grd beijinho

10:57 da tarde  
Blogger ©õllyß®y said...

Beleza que em ti reside...

Doce beijo

7:25 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home