sexta-feira, janeiro 25, 2008

BREVES INSTANTES


A um rosto por conhecer,
Ha pequenos momentos, breves instantes, dificeis de apagar. Sem eles o Deserto, o imenso Deserto, nao tem nome... O Mar, o mais bravo e belo Mar, nao tem rosto... O Ceu, a mais extensao regiao onde dormem os Sonhos, nao tem Alma, nem cor... E a Agua, limpida, que corre em todos os regatos do mundo, nao tem sabor... Ha Beleza impar, num instante sem esquecimento.
Breve e o instante do Olhar cruzado, do gesto trocado, do beijo sentido, do desejo partilhado, do viver enamorado, do fogo que nasce de duas fontes... Breve e a Noite quando se apaixona pelo Dia. A Noite, esse instante de magia, manto de harmonia, veu dual do Sentir... Breve e a Luz que passa pela cortina da janela, Aurora que ainda nao despontou...
Breve, fugaz e efemero e o instante sem Amor... Belo e duradouro e o instante quando se estende a mao e cai do Ceu um pingo de chuva, enviado pelo Mar e repousa sem cor, sem dor, sem rosto, so com sabor no Deserto, extenso, vasto, imenso que e o Deserto do Amor...

1 Comments:

Anonymous de-proposito said...

o Deserto do Amor...
---------------
Será que significa 'ausência de amor'?!...
Felicidades.
Manuel

6:37 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home