quarta-feira, abril 30, 2008

ROSTO DE MOÇA PERDIDA



"Que eu possa auxiliar a solidao de quem chegou, render-me ao motivo de quem partiu e aceitar a saudade de quem ficou." Oswaldo Begiato

Aos que passam por mim e me tocam com o Olhar de quem sabe Ver,

A ti que coloriste com singelas flores o meu passar e soubeste colocar na Chuva, recordaçoes de um tempo sem par...

Na Ilha do Fogo, o odor sulfuroso da tua Alma invade os meus sentidos. Es vulcao em actividade, tens dentro de ti a força magnetica do Sol. Ao teu lado tres caldeiras dao colorido ao teu Ser. Rastos de Sandalo vem de cada movimento teu dar cor a cada olhar meu. Teu relevo acidentado, orla maritima escarpada e mar bravio, tormentas de tanto Sentir! Quantos Segredos encerras nas tuas montanhas abruptas mergulhando em vales fundos? Ah, essa falesia de lava que te mancha os sentidos, cai a pique no mar, salpicando de leve os meus pes descalços. Toda a Terra abala a tua passagem, soltam os passaros um hino de Amor. Vive em ti uma deserta aridez, desfiladeiro de emoçoes. Confiou-te a natureza uma paisagem inesperada. Trazes dentro do peito o grito perdido de uma Calhandra de Ilheu Raso. Quem te traçou o Ser, Mulher? Ha rostos, mesmo perdidos, que valem mais que todos os Sonhos teus. Ha palavras, meio esquecidas, que no fundo do rio nao podem, eternamente morar.

2 Comments:

Blogger Ana Caridade said...

Rosto de Moça perdida!!! Chuva!
As guitarras que gemem... a voz que se solta!!! O movimento desponta!!!
O Fado das nossas vidas e a Vida de cada um.

"As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade"

Lindo!!! Lindo!!!

2:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

..."a Vida de cada um."

Seria bom cada um meter-se na própria vida, sem invenções...
SANDRA FERREIRA

4:57 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home