segunda-feira, fevereiro 11, 2008

CORAÇAO DE POMONA

"Assim nao possa o granizo hibernal crestar teus jovens frutos, nem os ventos furiosos dispersar tuas flores." Vertuno

Esta silente o Dia. Passaros anunciam que nada em ti me e estranho. Submete-se o Coraçao ao imperativo dos sentidos, falam dois coraçoes do mesmo Desejo. Duas maos cruzadas deslizam sem par, invadindo Almas perdidas. Maos que nao se cansam de segurar Sonhos, tocar emoçoes que os proprios coraçoes temem viver... Ja nao toca o violino, foi a tristeza banhar-se nos mares do Sul... Vindas do Ceu as aves migratorias, confidentes, falam a linguagem que so Coraçoes gemeos na dor e no Amor entendem... Ja por Terra repousa o podao. Ja as Arvores se vestiram. Ficou a Nudez da Noite no perfume sensual da voz inaugural da Aurora... Ja sem eclipses, sem disfarces caminham os coraçoes... Ja Vertuno e Pomona vivem lado a lado um manto colorido de paixoes... Coraçao de Pomona, energia celeste que humanizas o Amor estende as tuas maos e Sente este querer ardente...

1 Comments:

Blogger Joaquim Amândio Santos said...

lírico, docemente lírico à flor da pele...

1:15 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home