sexta-feira, fevereiro 08, 2008

SIBILA DE CUMAS

Tao terno, tao inocente... Uma vida, uma nova grande vida, verde feerico das sepalas te protejam Sempre... Es um rasgo de Amor, filho de um ermita. Ha momentos unicos, ha Pessoas insubstituiveis, erros irreparaveis... Sou Alma de dor, as vezes Sibila de Cumas, amante, simples criatura que no escuro procura uma gota de calor para apagar a sede, que so nos teus beijos se sacia... Erros, as vezes nao passo de erros nas maos do destino... Sou a demanda que aos meus antepassados foi lançada, pobre Alma sem Amor... Porque nao se quebra a demanda e me devolve o Amor? Saudades dos dias de dança, sem tempestades... So bonança... Ama-me, responde com delicadeza aos meus desejos, mesmo que um dia eu ja nao queira "tantos anos de vida quantos os graos de areia que ha nesse monte" e somente diga "quero morrer" de Amor... Sibila de Cumas, perdida na imensa floresta dos teus encantos, nada mais sou...
E so com a grande certeza de te Amar, neste caminho de espinhos, sem sepalas, desprotegida, descalça e despida estou, sou a demanda que um cavaleiro outorgou...

2 Comments:

Blogger Ana Caridade said...

Súplicas do amante que "desespera" pelo Encontro inefável e indizível...
Encontro, muitas vezes, incompreendido pelos simples mortais que não querem elevar a Alma em prol do material.
AMANTES da VIDA, da fertilidade e do AMOR na sua forma mais pura... Crianças em nós... soltando-a e simplesmente VIVENDO!

5:37 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Crianças em nós..."
Ou será só em ti?
SANDRA FERREIRA

3:58 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home