quinta-feira, fevereiro 07, 2008

ESTRADA DO AMOR

"Dois amantes felizes nao tem fim nem morte, nascem e morrem tanta vez enquanto vivem, sao eternos como e a natureza". Pablo Neruda
E quando um beijo teu apaga as minhas palavras, com o incendio do teu calor, que a Paisagem muda de cor e ganha som. E quando te entrego o bau onde guardo os adereços mais intimos do meu Coraçao que tudo o resto morre... Nada vale mais do que o nosso Amor, nada e tao simples e tao grande... Apanhou-nos a Paixao arrebatadora, selvagem e quente, nessa rota da seda sentida ou fina porcelana artesanal que e a Vida.
"Fui teu, foste minha. O que mais? Juntos fizemos uma curva na rota por onde o amor passou". - Canta o poeta. Essas imortais palavras guardadas nas maos do tempo, espalhadas na voz do Vento, pressagio deste encontro de duas Almas na mesma estrada. Duas encruzilhadas, duas Almas aprisionadas no umbral do desejo, ancoradas...
E quando sinto o teu cheiro, Amor... Quando tenho o sabor dos beijos teus, que eu sigo esta estrada que um dia me levara aos ceus... Na mais delicada cambraia o poeta da Vida desenhou a Estrada do Amor, deu-nos o dom de Amar e cada Dia foi feito para nos ensinar a Noite os sonhos da libido entregar, nessa Estrada do Amor que tantas vezes nos une e outras nos faz separar... Mas nada nem ninguem podera olvidar que o mais intenso dos momentos e o do Amar...

2 Comments:

Blogger Ana Caridade said...

AMIGA, é linda esta estrada do AMOR, que tanto conhecemos e partilhamos...
Esta grandeza de poder Doar... nesta doação sublime de loucura de SERMOS!
Estou contigo :-)))

5:32 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

..."nesta doação..."
E que grande doação ou será que querias dizer outra palavra?
SANDRA FERREIRA

4:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home