quarta-feira, fevereiro 20, 2008

MUSICA E DANÇA

"O Homem nao pode manter-se humano a esta velocidade, se viver como um automato sera aniquilado. A serenidade, uma certa lentidao, e tao inseparavel da Vida do Homem como a sucessao das estaçoes e inseparavel das plantas, ou o nascimento das crianças. Estamos no caminho mas nao a caminhar (...) talvez a aceleraçao tenha chegado ao coraçao que ja lateja num compasso de urgencia para que tudo passe rapidamente e nao permaneça. Este destino comum e a grande oportunidade, mas quem se atreve a saltar para fora? Ja nem sequer sabemos rezar porque perdemos o silencio e tambem o grito." Ernesto Sabato
Esta esquecida a arte das Musas nos coraçoes dormentes. O Homem ja nao sabe organizar a sucessao de sons e do silencio, vive tao somente por ver viver... Quanta arritmia de Sentidos, adusta solidao. Ja nao ouve! Esqueceu-se que a musica eleva os sentimentos mais profundos do seu Ser. Ja nao se expressa, ja nao pulsa o coraçao... Sem o pulsar do coraçao nao ha dança. Um coraçao que nao se insere na Geografia dos Sentidos jamais vera a beleza da melodia da flauta de bambu... No dia em que o indigena e o europeu caminharem de maos dadas e coraçoes unidos no mesmo pulsar, o mundo ouvira o mesmo som, linguagem de Amor.
Homem, porque habitas moinhos abandonados sem ouvires a melodia da Alma desses lugares encantados? Vives por imitaçao?
Cansou-se a Cadeira, ja gasta pelo tempo, de esperar um novo dono capaz de a seduzir, de Ser e Sentir... Ate quando o barulho de uma simples parede nua permanecera oculto em ti, sem que soltes o sorriso e vivas, em serenidade, cumprindo as leis do que ainda esta por cumprir?

4 Comments:

Blogger Ana Caridade said...

Ao ler o texto belíssimo… só me apraz dizer:

A casa de madeira onde me encontro nesta floresta que me conhece tão bem… ela - floresta - elabora com um cuidado indizível a melodia para que os meus movimentos se soltem…
As árvores cantam, os pássaros acompanham, as plantas vão dando um floreado à musicalidade, o coração marca o ritmo…
Escuto… SINTO… Sou a música que delicadamente entra pelos meus ouvidos em forma de espiral… penetrando em cada recanto do meu corpo e do meu SER.
Fundo-me com a Natureza circundante… saindo de mim e tornando-me em comunhão com o TODO!
O movimento liberta-se… em forma de Eu e de expressão desta Geografia dos Sentidos!
Danço ao Vento… à Natureza… ao Sagrado… rodopio… giro, giro, giro… nesta total liberdade de SER e Existir.
Vivencio este Momento único… nesta dádiva de total do que SOU.
Celebro a Vida em TUDO… celebro a Vida que flui em mim!

Muito obrigada
Beijocas da tua amiga
Ana

8:12 da tarde  
Blogger bono_poetry said...

sinto que nao preciso de bussola nesta geografia dos sentidos...
alheio-me completamente do pragmatismo.sinto-me enlevado ...as pontinhas dos pes tocam ao de leve no chao...todo o corpo flui e respira este ar tao genuino...tao puro...almas que trazem passaros cantores...folhas que harpeiam no vento...ai amiga je me fazia falta o teu cantinho e de sorte descobri outro tao belo...beijo!!!

10:02 da manhã  
Blogger NM said...

Gostei de cá voltar novamente e desta vez, deixando um comentário. Li alguns posts, reli outros e... gostei. Beijinho grd.

http://krigsmjod.blogspot.com

12:42 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Geografia dos Sentidos!" Que nunca se realizou.

"...da tua amiga" Será????
SANDRA FERREIRA

3:55 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home