terça-feira, fevereiro 12, 2008

RESPONDE QUE SOU.

"Ao contemplar as multidoes a sua volta, a encher-se com ocupaçoes humanas, a tentar compreender os rumos do mundo, esse desesperado esquece-se de si mesmo, esquece o seu nome divino, nao ousa crer em si mesmo e acha demasiado ousado se-lo e muito mais simples e seguro assemelhar-se aos outros, ser uma imitaçao servil, um numero confundido no rebanho." Kierkegaard, "0 desespero Humano"

Quando te perguntarem: "Quem fui?" Diz so que passo nas asas do Vento, as vezes brisa suave, outras tempestade... Diz que sou filha da Lua. Nunca deixes que perguntem muito, sugere outras ocupaçoes humanas. Responde que sou. Nunca permitas que tentem compreender os rumos de quem nunca soube o significado dessa e de outras palavras. Nao te inquietes se ouvires o meu nome no som das folhas das arvores, no grasnar dos corvos ou nas cordas de um violino por ti imaginado... Nao te percas se o vires tatuado nas asas de um Condor ou escrito nos troncos das arvores... So um desesperado fica a espera do som, so um coraçao aberto pode ver. Um som e vazio, um coraçao aberto, sangra. Sera? Lembra-te que es filho de um Deus e que um Dia tu mesmo poderas Ser Deus. Diz-me que Deus gostarias de Ser? Que sitio escolherias para viver? Nunca mas nunca te assemelhes aos que ja nao dançam, nao cantam, nao comungam dessa linguagem nobre que e o Amor!

Um Dia, muitos copiarao textos da tua Vida, momentos teus, serao servos! Serao rebanhos sem Pastor porque o Pastor morreu. Sera? Nunca deixes que perguntem. Responde que sou Luz no vazio de uma casa, sou luz... De quem? No vazio. Sera de Alguem? Serei Sempre Luz no vazio de quem me quer bem...

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

3:39 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home