terça-feira, maio 04, 2010

Dez máscaras de gelo

(imagem de Isabel - Macapi)
"Depus a máscara e vi-me ao espelho.
Era a criança de há quantos anos.
Não tinha mudado nada...
É essa a vantagem de saber tirar a máscara."Álvaro de Campos, in "Poemas"
Lá longe um pássaro voa. Existe um tronco sem ramos. No bico, o pássaro leva uma folha verde: como quando um humano guarda uma safira num baú.
No chão apenas terra.
Alguém pintou o céu. Alguém se levantou mais cedo do que tu.
Lá longe uma mão. Existe um pedaço do mundo em cada dedo. Na mão, o Homem leva sonhos: como um pássaro quando leva no bico uma folha verde.
No baú um tesouro.
Lá longe alguém colocou uma tabuleta: “Todos os pássaros são bem-vindos”- as mãos estão abertas.
Lá longe, tão longe quanto o longe pode ser, alguém pintou um mundo assim. Alguém se levantou mais cedo do que tu.

Visto por dentro o mundo é assim: dez máscaras de gelo que o céu esconde, por isso chove e ninguém sabe. Às vezes a chuva leva o nome às coisas e delas (dessas coisas) apenas fica o cheiro da existência que essas coisas tiveram, nas mãos das crianças.

1 Comments:

Blogger Wanderley Elian Lima said...

No bico a ave leva a folha verde para o galho seco, no coração o homem leva a esperança. Alguém acordou mais cedo do que eu e pintou o mundo com cores que eu não gosto.
Beijos

12:00 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home